Não fuja ao tema

             Fugir ao tema é talvez o pecado mais grave na redação. Dá a entender que oaluno não compreendeu a proposta da banca ou trouxe um texto pronto de casa.

 

A professora Maria Thereza Fraga Rocco, da Fuvest, chegou a cunhar umacuriosa expressão para nomear as redações que não apresentam erros de gramática,ortografia, coerência ou coesão, mas fogem ao tema: zero sofisticado.

 

O termo “sofisticado” é apenas um consolo, pois não se traduz em nenhumbenefício para o estudante. O zero sofisticado é zero mesmo. Reprova. Por isso o alunodeve ler com muita atenção o(s) texto(s) de suporte (que acompanham o tema), a fimde entender com clareza o que a banca espera dele.

 

Se o tema é “prostituição infantil”, não vá misturá-lo com a exploração dosmeninos de rua pelos pais. Se é “gravidez na adolescência”, não deve confundi-lo comeducação sexual nas escolas.

 

A menção a um assunto correlato é válida desde que seja eventual e,sobretudo, apareça para reforçar determinado ponto de vista. Pode-se, por exemplo,apresentar a falta de educação sexual como uma das razões para a gravidez naadolescência.