Fique atento à coesão e à coerências textuais

Falhas de coesão e coerência comprometem a unidade lógica do texto, por isso as bancas concedem atenção especial a esse tipo de problema. Observam, por exemplo, se o aluno é capaz de utilizar adequadamente os conectivos. Exemplos do mau uso de elementos coesivos encontram-se nos fragmentos abaixo, que retirei de algumas redações: 1 – O avanço tecnológico, além de suas vantagens e comodidades, traz preocupação a todos nós. 2 – Não queria deixar vovó sozinha a tão pouco tempo da morte do meu avô. 3 – Uma das coisas que até agora não foi elaborado o conceito é a palavra ficar. 4 – O sofrimento é uma etapa da vida em que todos passam por ela. *** Eis as incongruências: em 1, como o aluno estabeleceu uma idéia de oposição, a locução adequada seria “apesar de” – e não “além de”. Em 2, a substituição de “” por “a” indica, absurdamente, que o redator tinha poderes sobrenaturais: anteviu três meses antes a morte do avô… Em 3 e 4, o problema se deve ao emprego do pronome relativo. Por que é tão difícil usar o “cujo” ou “pelo qual”? Um bom exemplo de respeito à coesão ocorreria se os alunos houvessem escrito, respectivamente: “Uma das coisas cujo conceito até agora não foi elaborado é a palavra ficar”; “O sofrimento é uma etapa da vida pela qual todos passam”.