“Coesão” não é “fidelidade ao tema”

E-mail de Adriano Galdino de A. Lins, que se submeteu ao recente PSS da UFPB:

 

“Caro Professor: O 2º quesito da prova de redação do PSS 2010 pedia umartigo de opinião e o tema era o confronto entre a essência e a aparência. Desenvolvi-o associando a essência a um comportamento consciente e engajado da sociedade, comprometido com o bem comum, e a aparência a uma atitude individualista, estimulada por um mercado de trabalho cada vez mais competitivo. O senhor acha que houve coesão?”

Resposta

 

Prezado Adriano, presumo que você quer saber se houve pertinência na forma como desenvolveu o tema, ou seja, se não se afastou do que foi pedido. A coesão diz respeito a aspectos formais; para saber se seu texto ficou ou não coeso, eu teria que examinar a forma como você usou pronomes, advérbios, sinônimos, conjunções e demais elementos de referência e sequenciação.

O tema apresentado pela banca comportava, sim, a vinculação da essência ao altruísmo (preocupação com os outros) e da aparência ao egoísmo. Num dos textos do suporte, fala-se de uma “inversão de valores” em função da qual estão sendo banidos das relações humanas o respeito, a amizade, a ética etc.

No outro texto, que é um fragmento de entrevista, o filósofo Luc Ferry afirma explicitamente que a sociedade “se movimenta no sentido de estabelecer aconcorrência acirrada entre todos os indivíduos (…). O êxito pessoal é o que importa (…)”

Você se manteve, pois, dentro do tema. Um abraço, e boa sorte.