12 possíveis temas para a redação do Enem

Criminalidade na classe média

Num movimento social inesperado, jovens de classe média e alta entram cada vez mais no mundo do crime violento. As cadeias estão ficando mais democráticas: um censo feito pela Secretaria de Administração Penitenciária do Rio de Janeiro mostra que 15% dos presos têm renda familiar de mais de cinco salários mínimos. E nada menos que 5% dos detentos estão na faixa de renda que o Ipobe enquadra como classe A. Entre os fatores que podem levar um jovem de classe média ao crime, a revista destaca, pela ordem: desejo de bens de consumo inalcançáveis; gosto pela transgressão; glamourização do crime; desestruturação familiar; ostentação de poder; estagnação profissional.

Dependência da internet

Segundo Hurbert Poppe, médico austríaco de uma clínica especializada em curas de desintoxicação para alcoólicos e toxicodependentes, calcula-se que cerca de 3% dos usuários regulares da internet desenvolvam algum tipo de dependência. De acordo com o médico, trata-se de um tipo de dependência que não está relacionada com uma substância determinada, sendo semelhante à ludopatia dos jogadores compulsivos e afeta sobretudo pessoas tímidas ou que têm inclinação para a misantropia.

A corrupção no Brasil

O Índice de Percepção de Corrupção 2004, que inclui 146 países, coloca o Brasil na 59ª posição, com 3,9 pontos numa escala que vai de 1 a 10 pontos. Quanto mais baixa a pontuação, maior a corrupção percebida no país. O desempenho brasileiro ficou acima da média da América Latina, de 3,5, mas é possível que tenhamos caído um pouco mais depois das denúncias envolvendo o mensalão. A corrupção é um antigo mal nosso e, pelo visto, está longe de ser erradicada. Que fatores a explicariam, e por que ela se implantou de forma tão intensa entre nós?

Fé e fanatismo

Há vários riscos de se confundir fé com fanatismo. Para alguns, a diferença é apenas uma questão de intensidade. Fanáticos seriam aqueles cuja fé é absoluta, não deixaria nenhuma brecha à dúvida. A fé absoluta teria uma razão própria, um território só seu, onde não se sofreria nenhum tipo de contestação. Se o sentimento religioso é necessário ao equilíbrio psicológico do homem, por que algumas pessoas se achem detentoras exclusivas da verdade nesse terreno – a ponto de destruir os que não concordam com seu modo de pensar?

Sucesso e felicidade

Sucesso é o novo nome da felicidade. É o ideal forjado pela sociedade de consumo para nos levar a cada vez mais adquirir coisas. Antigamente a nossa suprema aspiração era ser feliz. Hoje desejamos o sucesso, que é uma felicidade quantificada, rotulada, carimbada com a marca do prestígio e do dinheiro. A felicidade não precisa de espectadores nem de aplauso. Já o sucesso só se completa com o olhar do outro.

Feminismo e novo papel da mulher

Um estudo feito por pesquisadores de quatro universidades britânicas e que foi divulgado na semana passada, sugere que homens inteligentes com cargos exigentes preferem ter mulheres à moda antiga, como suas mães, a ter mulheres iguais a eles. O estudo descobriu que o QI alto prejudica as probabilidades de uma mulher se casar, enquanto para os homens é uma vantagem. A perspectiva de casamento para os homens aumenta 35% para cada aumento de 16 pontos no QI; para as mulheres, há uma queda de 40% para cada aumento de 16 pontos. Então o movimento feminista foi uma espécie de armadilha cruel? Quanto mais as mulheres conquistam, menos são desejáveis?

Prostituição infantil

Como toda atividade clandestina, a prostituição infantil sempre foi abafada. Na visão da grande maioria das pessoas, não só dos leigos como também dos instruídos, acredita-se que os principais clientes que procuram pelos serviços das menores eram os turistas estrangeiros, que vêm para o país e se encantam com as mulheres seminuas que encontram nas praias e, por que não?, nas ruas. No entanto, o trabalho da polícia mostra que a maioria dos clientes são brasileiros de classe média alta e rica, empresários bem- sucedidos, aparentemente bem casados e, algumas vezes, com filhos adultos ou crianças. Além dos empresários estão, também, na lista, os motoristas de caminhão e de táxis, gerentes de hotéis e até mesmo os policiais.

Mercadores da fé

O homem não se explica por si mesmo: precisa acreditar em alguém, ou em alguma coisa, que o transcenda. Mas essa necessidade de mistério, ao mesmo tempo que fortalece o ser humano, fragiliza-o, dando margem a que ele venha a depender de todo tipo de aproveitadores. Ultimamente, têm-se multiplicado os livros de supostos gurus, as terapias energéticas ou “espirituais” e os duvidosos testemunhos – reforçados pela indústria do cinema – acerca de contatos ou experiências com seres de outros planetas. Existe algum tipo de fundamento, ou de veracidade, em criações ou produções dessa espécie?

Transgênicos

A pesquisa com os organismos geneticamente modificados tornaria possível ao Brasil resolver grande parte de seus problemas com alimentação. “Tornaria”, pois há que se levar em conta a posição dos ambientalistas. Eles alegam que os transgênicos ainda não são comprovadamente seguros para consumo e que também podem causar desequilíbrios ambientais. Já os defensores enumeram as vantagens para os agricultores: melhor produtividade com plantas resistentes a pragas e variações de temperatura, além da possibilidade de aumentar o valor nutricional dos alimentos.

O homem e a máquina

Numa época em que muito se fala de robôs e clones, é interessante questionar a natureza e as possibilidades dos artefatos mecânicos, eletrônicos, cibernéticos: passariam eles um dia de simples instrumentos a substitutos do próprio homem, desobrigando-o de atitudes e responsabilidades que, em última instância, lhe definem a humanidade?

A fome no mundo

Há quatro anos, líderes de 191 países se comprometeram em reunião organizada pelas Nações Unidas a alcançar as oito metas do milênio. Entre elas, certamente a mais importante é erradicar a extrema pobreza e a fome. O que será preciso fazer, no âmbito da administração de cada país, da política internacional e das relações socioeconômicas globais – organizadas hoje sob o primado do capitalismo – para que esse objetivo seja alcançado?

Ecologia e progresso

Em entrevista a um dos últimos números de Veja, o presidente do Instituto Worldwatch, Lester Brown, faz um sério alerta acerca do futuro da humanidade, chamando a atenção para o que pode acontecer à Terra caso não despertemos de uma vez para o problema ecológico. Parece que o homem, hoje, encontra-se numa encruzilhada entre o crescimento tecnológico e industrial, e a sobrevivência do planeta. Será que, para se chegar a um, tem-se que necessariamente sacrificar a outra, com o risco de extinção da própria humanidade?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>